• Eleve Science

Modelo de Epiderme humana in vitro: alternativa para substituição de animais em pesquisas

Modelo de Epiderme humana reconstruída em laboratório como alternativa para substituição de animais em pesquisas.

A preocupação da nossa sociedade com o bem-estar animal e a sustentabilidade voltou-se, há tempos, para o modo como realizamos experimentos científicos. Nas diversas indústrias, como é possível assegurar a mesma qualidade e segurança nos testes de seus produtos sem testá-los em animais primeiro?

No centro deste debate, despontam os métodos alternativos como ensaios equivalentes ao tradicionais, mas capazes de responder a essas questões. Entre eles, o modelo de Epiderme Humana Reconstruída (ou RHE) que se mostra como uma excelente alternativa devido à sua alta correlação in vitro in vivo e à capacidade de realização de diversos testes de segurança e eficácia, substituindo o uso de animais.


O modelo de epiderme humana reconstruída (RHE) é uma plataforma com alta correlação in vitro in vivo e que possibilita a realização de diversos testes alternativos ao uso de animais em pesquisa. Nesse panorama, a Eleve Science desenvolveu e testou seu próprio RHE, cujos resultados mostraram sua proficiência para realização de testes de irritação cutânea.

Para entender a ideia por trás do modelo, vamos primeiro relembrar as características da epiderme humana. Ela é um tecido cuja principal função é agir como uma barreira protetora do corpo contra o meio externo. Essa barreira é composta por camadas sobrepostas de células em constante proliferação e diferenciação chamadas queratinócitos. Desse modo, a RHE é criada ao cultivar esses queratinócitos artificialmente em laboratório de maneira a obter um fragmento de epiderme tridimensional, semelhante ao tecido vivo em sua arquitetura e fisiologia.

O modelo de RHE é, portanto, projetado para mimetizar a epiderme humana. Mas então quais são suas aplicações? Dentre as diversas possibilidades, o estudo de predição de irritação cutânea figura entre uma das principais aplicações. Este é amplamente empregado em diversos setores da indústria como cosmética, sanitizante e afins, para prever um efeito de irritação que produtos possam eventualmente provocar na pele do usuário. Logo, a RHE serve como plataforma para medir indicadores de provável dano e viabilidade celulares, prevendo o comportamento irritante ou não irritante da substância em teste.. São amplas as possibilidades de metodologias e vêm para atender uma enorme demanda da indústria e da pesquisa.

Tal demanda se encontra em meio a crescentes exigências regulatórias a favor de métodos alternativos e a busca pela sustentabilidade empresarial. Nesse cenário, a Eleve Science desenvolve seu próprio modelo de RHE, 100% nacional, na busca por atendê-la. Assim, ao desenvolvê-lo e testá-lo, a Eleve Science obteve resultados promissores: o modelo RHE Eleve Science® é reprodutível e atende a todos os parâmetros de qualidade estabelecidos, além de apresentar proficiência para realizar o teste de irritação cutânea. Por isso, tal desenvolvimento atende à demanda da indústria ao fornecer uma ferramenta de qualidade para avaliação de segurança de novos ativos e produtos no mercado, sem a utilização de animais.

De forma sucinta, num contexto de mudanças nas exigências regulatórias, os métodos alternativos se destacam como a tendência cada vez mais forte da atualidade. Nesse sentido, a plataforma de epiderme humana reconstruída possibilita a realização de diversos tipos de testes alternativos, sendo de fundamental interesse para muitas indústrias.

E, você, leitor, já sabia que existe uma empresa brasileira que desenvolveu um modelo de epiderme humana reconstruída em laboratório?

120 visualizações0 comentário